Do G1

Aliados de Rodrigo Maia (DEM-RJ) dizem acreditar que não haverá mais troca de farpas entre o presidente da Câmara dos Deputados e o presidente da República, Jair Bolsonaro. No entanto, interlocutores do deputado do DEM afirmam que, mesmo se novos ataques forem feitos, Maia vai ficar em “silêncio”, não irá responder a novas provocações e focará em uma agenda positiva de votações no Legislativo.

Na avaliação desses aliados de Rodrigo Maia, o clima de beligerância atingiu o ponto máximo e, a partir de agora, teria efeitos negativos na economia. Por isso, o presidente da Câmara fez o primeiro gesto no sentido de parar com a troca de críticas, no que foi seguido depois pelo presidente da República.

A mesma avaliação do grupo de Maia foi feita por Bolsonaro durante reunião com ministros mais próximos na manhã de quinta-feira (28).

A semana havia começado com a promessa de pacificação, o que não se confirmou, pois a troca de farpas atingiu um ponto de ebulição no meio da semana, colocando em dúvida até a aprovação da reforma da Previdência.

Interlocutores de ambos os lados reconheceram que os dois presidentes ultrapassaram o limite do aceitável e pediram que eles fizessem uma trégua, o que aconteceu na quinta-feira, quando Bolsonaro disse que a crise foi uma chuva de verão e agora é página virada.

Aliados de Rodrigo Maia esperam que o presidente da República cumpra o prometido, porque, em outras oportunidades, disse que iria parar os ataques, mas voltou a desferi-los.

A diferença é que, se o Palácio do Planalto voltar a atacar, Maia disse a aliados que não irá mais reagir e ficará em silêncio, focando seu trabalho na aprovação da reforma da Previdência e numa agenda positiva na Câmara dos Deputados.

Para se chegar à trégua, a cúpula do governo Bolsonaro se reuniu na quinta pela manhã para convencer o presidente da República a baixar as armas. Um encontro entre os dois, porém, está longe de acontecer. Chegou a ser negociado como uma possibilidade para a volta de Bolsonaro de Israel, mas agora não há mais previsão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *