Do UOL

O apresentador e virtual candidato à Presidência em 2022, Luciano Huck, afirmou hoje em São Paulo que sua entrada na política se deve a uma “convocação geracional”, e não a um projeto de poder.

“Estou aqui mais por uma convocação geracional do que qualquer outra coisa”, afirmou em evento do jornal O Estado de S. Paulo. “Não é um projeto pessoal, nem de poder.”

Huck disse que, em razão de sua profissão, conheceu o “Brasil profundo”. “Rodei tudo, eu vi tudo. Fui à Amazônia profunda, na fronteira da Venezuela? Não consigo passar pelo problema e não me sentir parte dele. A gente vive num país muito desigual e, se não fizermos nada, teremos a perpetuação da desigualdade.”

O apresentador disse que seu papel na política “é qualificar as ideias”. “Para onde o país está indo além da polarização?”

Ele disse que o empresariado pode contribuir, “mas quem tem o poder de mexer o ponteiro da desigualdade é o Estado, gerido pelos políticos”. “Se queremos mais eficiência, a gente precisa qualificar a política em escala industrial.”

Ele mencionou o Renova, movimento político do qual é parte, para dizer que “no Renova não importa a ideologia, a gente quer o sarrafo na medida certa”.

“Nunca se falou tanto sobre política como agora. Então vamos trazer ao nosso favor.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *