Do UOL

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio) elaborou um relatório favorável à soltura de cinco deputados estaduais presos na Operação Furna da Onça, fase da Lava Jato no Rio, deflagrada em novembro de 2018. O relatório da comissão, que ainda terá que ser aprovado em plenário, recebeu 5 votos favoráveis e 2 contrários.

Votaram favoravelmente Márcio Pacheco (PSC), presidente da CCJ; Rodrigo Bacellar (SDD), relator do projeto; Carlos Minc (PSB); Max Lemos (MDB); e Jorge Felippe Neto (PSB). Os votos contrários à soltura foram de Luiz Paulo (PSDB) e Dr. Serginho (PSL).

A ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Cármen Lúcia decidiu na última quinta-feira (16) que cabe à Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) a decisão de manter presos, ou não, os deputados Luiz Martins (PDT), André Correa (DEM), Marcos Abrahão (Avante), Chiquinho da Mangueira (PSC) e Marcus Vinicius Neskau (PTB). Os três foram reeleitos na eleição de 2018. Eles chegaram a ser empossados na prisão, mas a medida foi suspensa em abril deste ano por decisão da Justiça do Rio.

O relatório livra os parlamentares da prisão, mas impede que eles exerçam seus mandatos. Isso porque a posse dos deputados foi proibida pela Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *