Do Blog do Matheus Leitão

Interlocutores do novo procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmaram que os primeiros dias de sua gestão à frente do Ministério Público Federal serão dedicados à revisão de portarias assinadas por sua antecessora, Raquel Dodge.

Segundo informado ao blog, as medidas que serão revisadas se referem, em grande parte, a nomeações para postos-chaves na PGR. Aras foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro e aprovado para o cargo pelo Senado nesta quarta-feira (25).

Na sabatina a que foi submetido no parlamento, Aras reclamou que Dodge havia assinado uma série de portarias antes de deixar o cargo, no último dia 17, que “limitarão” o poder de quem assumir o comando do órgão. Segundo Aras, essas determinações, além de “exoneraram a elite da PGR”, serviram para manter nos cargos “pessoas que eram da confiança da ex-PGR”.

Irmã Dulce

Após a aprovação no Senado, Aras fez uma reunião íntima em sua casa, em Brasília, com a presença de familiares, amigos e alguns procuradores mais próximos, incluindo o procurador-geral interino, Alcides Martins.

O único parlamentar presente era o deputado João Roma (Republicanos-BA), responsável pela apresentação de alguns políticos a Aras, como o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-RJ), e o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM-BA).

Em sua primeira viagem como procurador-geral, Aras deverá ir a Roma, na Itália, em outubro, para acompanhar a canonização de Irmã Dulce, religiosa brasileira que ficou conhecida por suas obras de caridade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *